HISTORICO DO 6 BTL GOV VALADARES -PMMG

 

 TENHO A HONRA DE TER PARTICIPADO DA HISTORIA DO SEXTO BATALHÃO,POR ISTO REGISTRO OS FATOS COM PRAZER. SERVI NO SEXTO BATALHÃO ENTRE 1968 A 1997. ÉPOCA DE OURO  NAS ESCOLAS DE RECRUTAS COM A CHEFIA DO ENTÃO CAP JAIR JOÃO TEIXEIRA E EQUIPE FORMADA COM SGT ANTONIO ALVES, SGT SOUZA NETO, SGT ADÃO DOS ANJOS, SGT ADIL TEIXEIRA, SGT EXPEDITO, SGT LEO E OUTROS. QUANDO ENTREI PARA A PM O CMT DO SEXTO BATALHÃO ERA O TEN CEL FERNANDO MENDES E SUB CMT MAJOR FRANCISCO P XAVIER.
 
 
PMMG/6 BPM -SERVINDO A COMUNIDADE
DO VALE DO RIO DOCE
  
 
HISTÓRIA E TRADIÇÃO IMPULSIONANDO O
CRESCIMENTO DE VALADARES E REGIÃO
 
 
 
O Sexto Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais nasceu em um ambiente de conturbação da ordem pública e de tensão política social que dominava o país nos dias que seguiram a revolução de 1930, que conduzia à Presidência da República o gaúcho Getúlio Vargas. Foi o fim da chamada “República Velha”.
 
Foi neste contexto que o Sexto Batalhão foi criado pelo então presidente de Minas Gerais, Olegário Maciel. O Governo decidiu ampliar o efetivo da Força Pública transformando o “Serviço Auxiliar” – uma Unidade modesta e de finalidade secundária – em Sexto Batalhão. Através do Decreto 9.868 de 04 de março de 1931, no dia 07 de março do mesmo ano, em um prédio situado no bairro Cruzeiro, na capital mineira, o Sexto Batalhão foi instalado sob o comando do Tenente Coronel Luíz de Oliveira Fonseca. Assim o Sexto Batalhão iniciou suas atividades em um período conturbado – a Revolução de 1932.
 
Ainda em Belo Horizonte, o Batalhão mudou-se para o bairro Santo Antônio em 1940, onde ocupou por 12 anos as instalações deixadas pela extinção do Regimento de Cavalaria, atualmente Colégio Estadual.
 
 
 
 
 
CONQUISTA DO TROFÉU “PAGODE CHINÊS”
 
 
 
Em 1940 as condições de apresentação da tropa e o estado permanente de irrepreensível disciplina deram à Unidade fama nacional. Neste ano o Sexto Batalhão foi distinguido pelo Exército Brasileiro, recebendo um convite do Ministro da Guerra a participar do Desfile Militar de Sete de Setembro no Rio de Janeiro. Por três vezes consecutivas deslocou-se à antiga capital federal. Na última de suas apresentações, no ano de 1942, com a participação em Desfile Militar no Rio de Janeiro, o Sexto, durante o desfile, arrancou aplausos dos populares, sendo aclamado como a melhor tropa presente. Naquela ocasião, a tropa da Unidade, representando brilhantemente a Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, recebeu o “Troféu Pagode Chinês”, que veio se tornar o símbolo do Batalhão, guardado como relíquia na sede da Unidade. Ainda nesse mesmo ano o Sexto Batalhão recebeu a comenda da Inconfidência Mineira como a mais disciplinada tropa da PMMG.
 
 
 
 
 
 TRANSFERÊNCIA DE BELO HORIZONTE
 
PARA GOVERNADOR VALADARES
 
 
 
UM PERÍODO VIOLENTO
 
 
 
Foi nos anos que se seguiram à II Guerra Mundial que uma vasta região do Estado de Minas Gerais, formada pelos Vales do Rio Doce, Mucuri, Jequitinhonha e São Mateus passou a exigir maior atenção do governo. Desde sua emancipação política, em 1938, até o início da década de 1950, Governador Valadares já despontava como polo de desenvolvimento e atração na região. O potencial econômico, suas condições geográficas e recursos naturais faziam comerciantes, latifundiários e posseiros migrarem para esta região. Em 1940, Governador Valadares tinha uma população de 5.374 habitantes. Ao longo de 10 anos passou para 20.352 e em 1952 já ultrapassava a casa dos 30 mil habitantes. Junto ao crescimento da cidade, aumentava também o índice de criminalidade e violência. Eram comuns brigas, disputas e confrontos por terras, e depois por pedras preciosas e madeiras, disputadas por posseiros e grileiros. Capitalistas, homens de cidades grandes, buscavam negócios com a valorização da terra. Relatos históricos sobre a violência no Vale do Rio Doce no início dos anos 50 retratavam um jaguncismo – um tempo em que as diferenças eram acertadas na base do “olho por olho, dente por dente”. As ações de pistoleiros, contratados para prática de homicídios, somados a conflitos diversos, principalmente entre os peões dos depósitos de mica e madeireiras de Governador Valadares, concorriam para o aumento da criminalidade de violência, instalando uma sensação de insegurança e medo na população. Nessa época a presença da lei na região era amparada somente pelos pequenos e diminutos destacamentos do Primeiro, Terceiro e Nono Batalhões. Diante da emergente necessidade de se estabelecer a ordem na região leste de Minas Gerais, em junho de 1952, o governador Juscelino Kubitschek, através do Decreto-Lei 3.810, determinou a transferência do Sexto Batalhão, então Sexto Batalhão de Infantaria, de Belo Horizonte para Governador Valadares.
 
 
 
 
 
CHEGADA E INSTALAÇÃO EM GV
 
 
 
 
 
 
 
 
No dia 21 de julho de 1952, uma solenidade na Praça da Estação, em Belo Horizonte, marcou a transferência do Sexto Batalhão, com todos os seus homens, armas e materiais para Governador Valadares, designado para atender a população da região leste do Estado, mediante a necessidade de tranquilidade e respeito à ordem pública. Eram 20 oficiais e 300 praças que deixaram a capital do Estado embarcando na estação da Estrada de Ferro Central do Brasil e chegando a Governador Valadares às 14h do dia 22 de julho de 1952.
 
 
 
 
 
 
 
 
As primeiras instalações do quartel do Sexto Batalhão em Governador Valadares foram construções de madeira, a oito quilômetros do centro da cidade, no bairro Vila Isa nas dependências do antigo galpão do DNER, onde permaneceu instalado por nove anos.
 
 
 
 
 
A MUDANÇA PARA AS ATUAIS INSTALAÇÕES
 
 
 
Ainda no ano de 1952, o então prefeito de Governador Valadares, Raimundo Albergaria, doou uma extensa área no bairro Nsa. Sra. de Lourdes – 45 mil metros quadrados – para Polícia Militar construir as instalações do Sexto Batalhão. No final daquele ano, a prefeitura deu início às obras de terraplanagem. As obras da construção do atual prédio da Unidade foram realizadas pelos próprios militares que ao longo de nove anos ergueram o novo prédio do Batalhão. A mudança da antiga sede no bairro Vila Isa, para as atuais instalações no bairro de Lourdes, ocorreu no dia 28 de janeiro de 1961. Ao longo dos anos as instalações do Sexto Batalhão têm sido ampliadas e modernizadas. Hoje a Unidade tem um complexo de oito prédios, estacionamentos, quadras e campos de futebol, piscina (praça de esportes) interligados ao Colégio Tiradentes, ao Núcleo de Assistência Integral a Saúde, à sede da União dos Militares de Minas Gerais e à 5ª Cia de Missões Especiais.
 
Atualmente o Sexto Batalhão divide a responsabilidade territorial, no campo da segurança pública da cidade de Governador Valadares com o 43º BPM, a 5ª Cia de Missões Especiais e a 8ª Cia Ind MAT. A Unidade conta com 3 Companhias sediadas em Governador Valadares, sendo a 44ª e a 208ª Companhia PM e a 101ª Companhia de Ensino e Treinamento, além de 2 Companhias destacadas, a 49ª Companhia PM, sediada em Aimorés e a 159ª Companhia PM, na cidade de Mantena. O Sexto Batalhão é responsável pelo Policiamento Ostensivo numa área abrangendo 20 municípios e seus respectivos distritos, numa extensa área da região leste de Minas Gerais, com missão de proporcionar um ambiente seguro, sempre focado no negócio da Polícia Militar, que é promover a Paz Social.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Anúncios

Sobre RIBEIROJEQUERI

MILITAR APOSENTADO
Esta entrada foi publicada em ARQUIVOS: CATEGORIA GERAL E OPINIÕES DIVERSAS. com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s